Polêmica do Coach na Novela da Globo

Polêmica do Coach na Novela da Globo

A presença de Coach/Coaching na novela O Outro Lado do Paraíso vem causando discussões. Conselhos de Psicologia emitiram notas à respeito.




***

Nota do Conselho Federal de Psicologia (CFP)

““O outro lado do paraíso” presta um desserviço à população brasileira

Sofrimento psíquico grave foi abordado sem o cuidado que o tema exige

Mesmo compreendendo o caráter de uma obra de ficção, o Conselho Federal de Psicologia (CFP) entende que a telenovela “O outro lado do paraíso”, por se tratar de uma obra capaz de formar opinião, presta um desserviço à população brasileira ao tratar com simplismo e interesses mercadológicos um tema tão grave como o sofrimento psíquico de personagem cuja origem é o abuso sexual sofrido na infância.

 

SE INSCREVA NO CANAL DO PSICOATIVO –> AQUI <–

***

Nota do Conselho Regional de Psicologia de MInas Gerais (CRPMG)

Nota explicativa sobre apresentação de coaching em novela
Postado em 05/02/2018 por CRP-MG

“A respeito da apresentação da atividade de coaching como intervenção terapêutica na novela “O outro lado do paraíso”, da Rede Globo de televisão, o Conselho Regional de Psicologia – Minas Gerais (CRP-MG) vem a público declarar extrema preocupação com os eventuais equívocos de interpretação que possam causar diante da complexidade do tema em questão que é o abuso sexual intrafamiliar e os prejuízos psicológicos que acompanham as vítimas e o adoecimento dessas famílias.

O coaching não é uma profissão reconhecida e não está vinculado a nenhuma formação universitária específica. Trata-se, segundo o Instituto Brasileiro de Coaching, de “um processo de desenvolvimento humano que usa de técnicas da Administração de Empresas, Gestão de Pessoas e do universo dos esportes para apoiar pessoas e empresas no alcance de metas, no desenvolvimento acelerado e, em sua evolução contínua”. No entanto, a novela em questão sugere como “solução rápida” e como uma “ferramenta para extrair a verdade” a prática do coaching para acessar o bloqueio sexual oriundo de abusos sexuais sofridos na infância.

 

Leia nossa indicação e post “Aprendendo a ter um infarto de forma bem simples”

Siga nosso insta @PensarBemViverBem





Deixe seu comentário